Governo Lula estaria ‘maquiando’ dados e prejudicando produtores rurais, denuncia presidente da Aprosoja-MT, veja o vídeo

A companhia nacional de abastecimento (Conab) divulga mensalmente a estimativa de produção de grãos nacional, no entanto, por conta do clima, produtores de soja esperam colher bem menos do que está sendo estimado pela companhia.

Lucas Beber – Presidente da Aprosoja-MT – Reprodução internet

De acordo com Lucas Costa Beber, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), produtores que costumam colher acima de 70 sacas, esse ano estão colhendo em média 35 sacas nas primeiras lavouras, uma queda de produtividade na casa de 21%.

No entanto, os dados do último levantamento da Conab não retratam essa quebra de safra. A companhia estima que a Safra de Grãos 2023/2024 será de 155,3 milhões de toneladas, repetindo os números do ano passado.

Empresas de consultoria, a exemplo da Pátria Agronegócios, estimam uma colheita nacional 143 milhões de toneladas, enquanto que produtores acreditam que esse número não deve chegar a 135 milhões de toneladas/ano.

”É unânime no Brasil inteiro os produtores discordando desses números da Conab. E a primeira forma que o governo teria de ajudar o produtor era trazendo números reais para que houvesse ajuste de mercado”.

O presidente da Aprosoja-MT explica que os produtores tiveram um decréscimo de preço de quase 20 reais nos últimos 45 dias. Vale lembrar que, no ano passado, a projeção do Departamento de Agricultura Americano (USDA), também fez estimativas muito acima da realidade. A safra americana, que no início de 2023 estava em 128 milhões de toneladas, encerrou com 112 milhões/ton, um erro que prejudica os produtores de todo o mundo.

“Essa projeção da Conab e da USDA, novamente aqui na safra brasileira, acaba fazendo essa manipulação e fazendo com que os preços das comodities baixem”, ressaltou Beber.

A entidade disse que já acionou o governo federal para obter recursos por meio do BNDES, que possam auxiliar o produtor no refinanciamento da safra do ano que vem. A preocupação é com o aumento do endividamento a depender das taxas de juros que serão cobradas de quem precisar de empréstimo para pagar seus prejuízos neste ano.

Veja a entrevista completa de Lucas Beber, presidente da Aprosoja-MT, no canal Fator Político BR:

 

Autor desta matéria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *